WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
;
o blog artigos curiosidades dicas qualidade de vida fale conosco
novembro 2020
D S T Q Q S S
« jul    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

:: ‘tabagismo’

Doença pulmonar aumenta risco de doenças cardíacas

DA REDAÇÃO

Nos portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica, as crises de dispneia (fata de ar severa) os obrigam a usar broncodilatadores, o que não é bom para o sistema cardiovascular.

Pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) têm o dobro de chance de morrer devido às doenças cardiovasculares

Quando falamos em Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, ou DPOC, nos referimos a duas condições juntas: bronquite crônica, uma inflamação dos brônquios geralmente provocada pelo fumo; e o enfisema pulmonar, que é uma consequência da destruição das células dos pulmões, órgãos responsáveis por realizar a troca de gases. A doença provoca uma limitação do fluxo de ar pelas vias aéreas e destruição do tecido pulmonar dos pacientes.

Como resultado, a capacidade pulmonar do paciente é reduzida, tornando a respiração mais difícil e dificultando a oxigenação do sangue. Essas características, complicadas por si só, podem levar a problemas ainda mais sérios, como problemas cardíacos e depressão. Por isso, é muito importante conscientizar a população sobre a doença e a importância do diagnóstico precoce. :: LEIA MAIS »

Câncer de Pulmão: Consumo de cigarro é responsável por 90% dos casos da doença

DA REDAÇÃO

*Mariana Tosello Laloni é formada pela Faculdade de Medicina da PUC-Campinas (2000) Sua especialidade é oncologia clínica. Fez doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – FMUSP (2008). Além de atuar como médica oncologista, é também responsável pela qualidade do Centro Paulista de Oncologia (CPO).

O tabagismo é a maior causa evitável de tumores malignos em todo o mundo e está diretamente relacionado ao risco aumentado de surgimento de câncer de pulmão; oncologista explica principais sintomas de alerta e aborda os benefícios de parar de fumar

O tabagismo está na origem de 90% dos casos de câncer de pulmão e os fumantes têm cerca de 20 vezes mais risco de desenvolver a doença. Apesar destes dados não serem novidade, o Brasil ainda registra um elevado número de casos da doença entre fumantes. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o país soma 28.220 novos casos de tumores pulmonares ao ano.

A oncologista Mariana Laloni*, do Centro Paulista de Oncologia (CPO) – Grupo Oncoclínicas, diz que a maioria dos pacientes com câncer de pulmão apresenta sintomas relacionados ao próprio aparelho respiratório, tais como: tosse, falta de ar e dor no peito.

Outros sintomas inespecíficos também podem surgir, entre eles perda de peso e fraqueza. Em poucos casos, cerca de 15%, o tumor é diagnosticado por acaso, quando o paciente realiza exames por outros motivos. Por isso, a atenção aos primeiros sintomas é essencial para que seja realizado o diagnóstico precoce da doença.

Segundo a médica, existem dois tipos principais de câncer de pulmão: carcinoma de pequenas células e de não pequenas células. “O carcinoma de não pequenas células corresponde a 85% dos casos e se subdivide em carcinoma epidermoide, adenocarcinoma e carcinoma de grandes células. O tipo mais comum no Brasil e no mundo é o adenocarcinoma e atinge 40% dos doentes”, destaca. :: LEIA MAIS »

Pesquisa aponta queda no número de fumantes no Brasil

DA REDAÇÃO

Brasil está vencendo a batalha contra o tabagismo. Conscientização contribui.

Metade das mortes causadas pelo fumo ocorre em apenas quatro países: China, Índia, Estados Unidos e Rússia

O Brasil aparece como destaque positivo em uma pesquisa global sobre o tabagismo. O estudo aponta que o país ocupa o oitavo lugar no ranking de número absoluto de fumantes (7,1 milhões de mulheres e 11,1 milhões de homens), mas é, ao mesmo tempo, um dos campeões na quedas do número de viciados em nicotina.

Em 25 anos, o Brasil viu a porcentagem de fumantes diários despencar de 29% para 12% entre homens e de 19% para 8% entre mulheres. A pesquisa, financiada pela Fundação Bill and Melinda Gates e pela Bloomberg Philanthropies e publicada pela revista The Lancet, concluiu que a redução no número de fumantes no Brasil, e também em outros países, se deve à combinação de impostos mais altos para os cigarros com o uso de avisos nos pacotes sobre os danos do fumo à saúde.

O estudo alerta que o cigarro é responsável por uma em cada dez mortes no mundo e metade das mortes causadas pelo fumo ocorre em apenas quatro países: China, Índia, Estados Unidos e Rússia. Os peesquisadores estimam que, em 2015, aproximadamente 1 bilhão de pessoas no mundo fumavam diariamente: um em quatro homens e uma em cada 20 mulheres. Em 1990, eram um em cada três homens e uma em cada 12 mulheres.

“Apesar de mais de meio século de evidências dos efeitos prejudiciais do tabaco na saúde, atualmente, um em cada quatro homens no mundo fuma diariamente”, constata a pesquisadora Emmanuela Gakidou, uma as responsáveis pelo estudo, que completa: “Fumar cigarro continua sendo o segundo maior fator de risco de mortes prematuras e deficiências e, para reduzir seu impacto, devemos intensificar seu controle”.

FONTE: CORREIO/AGÊNCIAS

Tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo

DA REDAÇÃO

Tabagismo no mundo

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. A OMS estima que um terço da população mundial adulta, isto é, 1 bilhão e 200 milhões de pessoas (entre as quais 200 milhões de mulheres), sejam fumantes.

Pesquisas comprovam que aproximadamente 47% de toda a população masculina e 12% da população feminina no mundo fumam. Enquanto nos países em desenvolvimento os fumantes constituem 48% da população masculina e 7% da população feminina, nos países desenvolvidos a participação das mulheres mais do que triplica: 42% dos homens e 24% das mulheres têm o comportamento de fumar. :: LEIA MAIS »

Relatório de saúde nos EUA adverte para riscos ainda maiores do tabagismo

DO SWISSINFO.CH

O tabagismo pode causar ainda mais problemas de saúde do que se sabia anteriormente, inclusive câncer de cólon e fígado, cegueira, diabetes e disfunção erétil, advertiu um importante relatório do governo americano, publicado nesta sexta-feira(17).

Altos dirigentes de saúde dos Estados Unidos se reuniram na Casa Branca para anunciar as mais recentes descobertas do ‘Surgeon General’ (autoridade máxima de saúde pública no país) sobre as consequências de fumar para a saúde, cinco décadas depois de o primeiro relatório do tipo alertar ao público que fumar provoca câncer de pulmão.

O tabagismo se mantém como a principal causa evitável de morte prematura nos Estados Unidos e mata cerca de meio milhão de americanos anualmente. :: LEIA MAIS »

Brasil está na vanguarda do combate ao fumo, diz pesquisa canadense

DO CORREIO BRAZILIENSE

POR ISABELA DE OLIVEIRA

Diferentemente de outras nações emergentes, o governo brasileiro adotou medidas contra o cigarro antes de ele se tornar uma ameaça mundial. Segundo estudo canadense, a postura faz do país uma “notável exceção” no atual quadro de epidemia tabagista

Os valores dos maços de cigarro não acompanham a velocidade com que cresce a economia dos países emergentes, com notável exceção do Brasil. Mais baratos e acessíveis, os produtos do tabaco estão se alastrando rapidamente nas nações em que o poder de compra aumentou nos últimos anos, em especial na China, Índia, Indonésia e Rússia. A constatação é de um estudo publicado no periódico The New England Journal of Medicine.

Além de destacar a situação brasileira, o epidemiologista Prabhat Jha, autor da análise, alerta que, se o veneno continuar a contaminar as potências mais populosas do planeta, as mortes causadas pelo fumo vão dobrar nos próximos 20 anos, de 5 milhões para mais 10 milhões. :: LEIA MAIS »

SUS amplia tratamento a pacientes com câncer de pulmão em estágio avançado

DA TRIBUNA DA BAHIA

Rx de tórax com câncer de pulmão em estágio avançado. Uso de cigarro é a maior causa.

O Ministério da Saúde anunciou nesta sexta-feira (8/11) a inclusão de dois medicamentos de alto custo para o tratamento de câncer de pulmão em estágio avançado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O anúncio inclui, ainda, a incorporação de mais dois medicamentos específicos para o tratamento de Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP) no SUS. As portarias estão publicadas no Diário Oficial da União.

A partir deste fim de semana, pacientes de quimioterapia para o tratamento de câncer de pulmão pelo SUS terão à disposição o uso de cloridato de erlotinibe e de gefitinibe, medicamentos usados no tratamento da doença em estágio avançado, de células cancerígenas grandes ou já em metástase. Não haverá custo adicional para os pacientes.
As portarias ainda abrangem o uso dos medicamentos brisentana e bosentana, usados no tratamento de HAP de falha primária ou secundária, ou em casos em que o uso de sildenafila é contraindicado. O custo dos medicamentos é reduzido, com preço negociado pelo SUS. :: LEIA MAIS »

Brasil está entre países líderes em número de ex-fumantes, diz estudo

DO BEM ESTAR

No quesito, brasileiros estão atrás apenas do Reino Unido e dos EUA.
País é também o que tem menor número de homens fumantes.

O Brasil está entre os países com maiores taxas de fumantes que abandonaram o vício, segundo um estudo divulgado nesta quinta-feira (16) pela revista médica “The Lancet”. O país também tem a menor taxa de homens fumantes em relação ao total da população, comparado com os outros países analisados.

Segundo o levantamento feito entre outubro de 2008 e março de 2010, 46,4% dos homens brasileiros e 47,7% das brasileiras que disseram que já fumaram diariamente no passado tinham abandonado o vício. O número é o terceiro mais alto da pesquisa, atrás apenas do Reino Unido (com 57,1% para os homens e 51,4% para as mulheres) e dos Estados Unidos (48,7% e 50,5%, respectivamente). :: LEIA MAIS »

Grávidas fumantes têm maiores chances de terem filhos com asma

DO EUREKALERT

A asma aguda afeta significativamente a qualidade de vida dos pacientes, e pesquisa da Universidade da Califórnia mostra que crianças e adolescentes cujas mães fumaram durante a gestação são mais propensas ao desenvolvimento dos sintomas dessa doença do que aqueles cujas mães não fizeram uso de cigarros enquanto grávidas.

Os efeitos são mais sentidos entre afro-americanos e latinos, por isso, a análise envolveu quase 2.500 crianças com essas características e descobriu que aquelas com idade entre oito e 17 anos eram mais propensas a terem mães que fumaram durante a gravidez, independente dos níveis de escolaridade, socioeconômicos e da exposição da criança ao tabaco. :: LEIA MAIS »

Balanço do governo sobre a saúde do brasileiro mostra que tabagismo caiu, mas obesidade aumentou

DO R7

Ministro da Saúde Alexandre Padilha

Pesquisa Vigitel de 2011 aponta que 49% do país estão acima do peso

O governo apresentou nesta terça-feira (10) a edição de 2011 da pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), que avalia a saúde do brasileiro. Queda do tabagismo e aumento nos exames para a saúde da mulher foram as boas notícias, mas a obesidade cresce e preocupa.

Alexandre Padilha, ministro da saúde, destacou os avanços alcançados pela luta contra o tabagismo. Segundo ele, a proibição dos aditivos, feito recentemente pela Anvisa, deve ter um impacto ainda mais forte para evitar que os jovens comecem a fumar. :: LEIA MAIS »

Como o álcool e o cigarro influenciaram no câncer do Lula

DO MIDIA NEWS

"O cigarro, sozinho, aumenta em 10 vezes o risco de câncer na laringe. Quando associado ao consumo de álcool é 40 vezes mais nocivo."

“O ex-presidente tem casos na família que não devem ser desprezados, mas a doença é muito mais ambiental do que hereditária”, defende Ricardo Caponero, oncologista da Clínica de Oncologia Médica, em São Paulo.

A combinação entre cigarro e álcool é a mais nociva para a saúde das vias respiratórias e do sistema digestivo. Embora o risco seja diretamente proporcional ao tempo e à quantidade de tabaco consumido ao longo da vida, o fumo é nocivo desde a primeira tragada. E mesmo quem fuma pouco não está isento do risco, endossa Carlos Henrique Teixeira, oncologista clínico do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). “O cigarro, sozinho, aumenta em 10 vezes o risco de câncer na laringe. Quando associado ao consumo de álcool é 40 vezes mais nocivo.”

O caminho da fumaça

A nicotina causa a dependência química, mas as demais substâncias tóxicas presentes no tabaco agridem e impregnam a laringe, explica Caponero.

O cigarro é composto por inúmeras substâncias cancerígenas. Elas são eliminadas pelo organismo, mas por onde passam, intoxicam. Além das vias respiratórias, contaminam a bexiga, que faz parte do sistema excretor dessas toxinas.”

Na política, o cigarro não foi nocivo apenas à saúde do ex-presidente Lula. O câncer na bexiga de Mario Covas também estava intimamente relacionado ao tabagismo. :: LEIA MAIS »

Parar de fumar melhora a memória

DO LIVE SCIENCE

Deixar de fumar é extremamente benéfico para a saúde de forma geral, mas pesquisadores ingleses descobriram uma vantagem específica do abandono do hábito – o melhor funcionamento da memória.

Pesquisadores da Universidade Northumbria, na Inglaterra, selecionaram 69 pessoas para participarem de um tour pelo campus da universidade. Dessas pessoas, 27 eram fumantes, 18 eram ex-fumantes e 24 nunca tinham fumado.

Essas pessoas tiveram que realizar tarefas em cada uma das locações onde foram levadas – 15, ao total. As tarefas envolviam funções de memória que estavam relacionadas aos locais. Na biblioteca, por exemplo, elas deveriam se lembrar de checarem se seus telefones tinham recebido mensagens. No centro esportivo deveriam perguntar sobre os custos de ser sócio. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia