WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
;
o blog artigos curiosidades dicas qualidade de vida fale conosco
junho 2021
D S T Q Q S S
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

:: ‘planos de saúde’

Plano de saúde pode ficar 5% mais caro com normas da ANS

do DCI

SÃO PAULO – As normas estabelecidas pela Resolução 2001 da Agência Nacional de Saúde (ANS), que começam a valer a partir da próxima segunda-feira, podem elevar em 5% o preço dos planos de saúde, por causa do aumento da cobertura dos planos privados. Para especialistas em saúde ouvidos pelo DCI, um dos procedimentos que serão mais afetados pelas regras é a “internação domiciliar”, oferecida em alguns casos para pacientes que podem ser tratados longe dos leitos hospitalares.

Para o diretor-técnico da Unimed Seguros, braço da Unimed, Alexandre Ruschi, a atualização dos procedimentos ajudará as empresas de saúde a ampliar a cobertura aos clientes. O executivo alerta, porém, para o fato de que há necessidade de revisão dos preços praticados pelas seguradoras de saúde, que fornecem planos ao consumidor final. “Entendemos que isso poderá impactar em 5% nos preços praticados pelas empresas”, afirmou. :: LEIA MAIS »

Cinco milhões de brasileiros têm planos de saúde ruins

da Agência Estado

Cinco milhões de pessoas no Brasil pagam por planos de saúde com grave insuficiência de laboratórios, consultórios e hospitais, situação que possibilita dificuldades e negativas de cobertura para a realização de consultas, internações e exames garantidos pelo contrato assinado. Os dados são de estudo da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) apresentado em 2009 e obtido pelo Estado. Foram avaliadas 35 das maiores operadoras do mercado em número de clientes. Segundo o trabalho, 71% estavam com deficiência média ou grave na rede assistencial.

A deficiência mais frequente foi quanto aos serviços auxiliares de diagnóstico e terapia disponíveis, como os laboratórios que fazem exames de imagem – problema encontrado em 88,5% das operadoras analisadas. As empresas avaliadas fazem parte do conjunto de 43 operadoras que concentram 50% dos usuários de planos médico-hospitalares no Brasil. Um total de 42,9 milhões de pessoas têm convênios de assistência médica atualmente no País. :: LEIA MAIS »

Planos de saúde lideram lista de reclamações

do G1.com.br

por Veruska Donato

A lei que mudou as regras completa dois anos nesta semana. As operadoras passaram a ter que aceitar mais de cem novos procedimentos médicos. A intenção era melhorar os planos de saúde.

Você vai conhecer agora histórias de conveniados que precisaram entrar na justiça para conseguir fazer uma cirurgia.

Foi por causa de uma infecção hospitalar que o drama da dona de casa, Nilza Maia Kelm, começou. Ela tinha operado o joelho e precisou voltar para o hospital porque teve um problema na fase de recuperação. :: LEIA MAIS »

Procon explica os reajustes que os planos de saúde sofreram

do Correio

Durante cinco anos, as operadoras de planos de saúde ficaram proibidas de aplicar integralmente o aumento de 26,10%, autorizado pela Agencia Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Após a suspensão da liminar, a Sul América e o Bradesco Saúde passaram a cobrar aos associados percentuais retroativos de 12,9% e 12,63%, respectivamente, e acresceram o aumento ao valor da mensalidade.

Segundo o Procon, o valor retroativo só será cobrado dos usuários dos planos de saúde Sul América e Bradesco Saúde que tenham contratos firmados antes de 1999, não tenham sido adaptados à lei 9.656 de 1998 e não tragam índices claros de reajuste.

Apesar da cassação da liminar que beneficiava os consumidores, o mérito da ação ainda não foi julgado, o que torna possível que a cobrança do aumento seja revertida.

Mudanças nos planos de saúde excluem 10,4 milhões

do Clickpb

A nova regulamentação da ANS (Agência Nacional de Saúde) – que entra em vigor em 7 de junho e inclui 70 novos exames médicos e odontológicos, além de ampliar o número de consultas com psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais – vai deixar 10,4 milhões de pessoas fora do pacote.

O número corresponde à quantidade de beneficiários de planos de saúde cujos contratos foram feitos antes de 2 de janeiro de 1999, quando houve a regulamentação do setor de saúde complementar no Brasil.

A ANS informou à reportagem do R7 que não tem alcance jurídico para interferir nos acordos fechados antes desta data. Os órgãos de defesa do consumidor afirmam que não podem comprar a briga porque há uma legislação por trás dos contratos – e as próprias operadoras de saúde já ofereceram opções de migração dos planos antigos para os novos. :: LEIA MAIS »

Incluído na lista da ANS, PET-CT gera economia para sistema de saúde

do G1

por Emilio Sant’Anna

Exame dá mais segurança na confirmação do diagnóstico do câncer

Exame resulta em mudança de procedimento em 30% das vezes.
Novas regras entram em vigor no dia 7 de junho deste ano.

Entre os 70 novos procedimentos incluídos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) na cobertura mínima obrigatória das operadoras de planos de saúde, o PET- CT era o mais esperado por radiologistas e oncologistas – ainda que tenha sido incluído apenas para o diagnóstico do câncer de pulmão. :: LEIA MAIS »

Planos terão de incluir 70 novos procedimentos em junho

da Agência Estado

por Felipe Werneck

Rio de Janeiro – Atendimento psiquiátrico ilimitado em casos graves e a possibilidade de internação domiciliar estão entre os 70 novos procedimentos incluídos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) na cobertura mínima obrigatória das operadoras de planos de saúde. A partir de 7 de junho, os planos deverão cobrir transplantes de medula óssea alogênicos (de outro doador) para pessoas com até 70 anos e exames de imagem para detecção precoce de tumores e metástases (PET-scan oncológico). Neste caso, a ANS limitou a nova tecnologia a casos de linfoma e de câncer pulmonar.

O chamado Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde 2010 incluiu cirurgias por vídeo no tórax e 17 exames laboratoriais. Entre os exames preventivos, entrou o teste do olhinho (para recém nascidos) e o teste rápido de HIV para gestantes. São 54 procedimentos médico-hospitalares e 16 odontológicos. Haverá cobertura obrigatória para acidentes de trabalho nos planos coletivos empresariais e por adesão. :: LEIA MAIS »

Planos terão de cobrir exame para detectar câncer

da Agência Estado

SÃO PAULO – A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anuncia hoje a inclusão, na cobertura mínima de planos de saúde, dos exames de imagem para detecção precoce de tumores e metástases (PET-scan) e o uso de câmaras hiperbáricas (que fornecem altas concentrações de oxigênio), mas com limitações dos tipos de doença que serão atendidos. As restrições para o PET-scan atendem a uma preocupação das operadoras, que temiam grande impacto nos custos. A cobertura só deverá ser obrigatória quando houver suspeita de câncer no tórax e mediastino.

Também deverão ser confirmados a inclusão dos transplantes de medula óssea de doador vivo e 25 novos tipos de cirurgias por vídeo e endoscopias, que poderão trazer maior impacto para o usuário. Já os planos odontológicos terão de oferecer dois tipos de prótese, bloco e coroa. E o número mínimo de consultas de psicologia cobertas, hoje 12 por ano, deve pelo menos dobrar. :: LEIA MAIS »

Planos de saúde terão de cobrir transplante de medula

da Folha Online

No dia 1º de junho, planos de saúde de todo o Brasil passarão a cobrir os custos do transplante de medula óssea –que chega a custar R$ 80 mil–, segundo reportagem de Ricardo Westin, publicada na edição desta segunda-feira da Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL).

De acordo com o texto, o transplantes de medula é um dos cerca de 70 procedimentos que, por determinação da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), entrarão no pacote mínimo que as operadoras são obrigadas a oferecer a seus clientes. A atualização beneficiará 43,7 milhões de pessoas com plano médico.

Para o médico Carmino Antônio de Souza, presidente da Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, a inclusão do transplante de medula óssea no pacote básico não terá um impacto grande nas contas das operadoras:

“O procedimento é caro [até R$ 80 mil], mas não é tão comum. Deveremos ter uns 150 transplantes por ano [cobertos pelos planos]. A maioria continuará sendo feita pela rede pública. Imagino que R$ 1 a mais nas mensalidades cobrirá os custos na área privada.”



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia