WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
;
o blog artigos curiosidades dicas qualidade de vida fale conosco
junho 2021
D S T Q Q S S
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

:: ‘planos de saúde’

Planos de saúdes impõem limites para exames e internações

DE O ESTADO DE SÃO PAULO

POR KARINA TOLEDO

\Pesquisa de duas entidades afirma que o problema afeta mais de 90% dos médicos que trabalham com planos

Médicos ouvidos pelo Estado revelam estratégias de operadoras de planos de saúde para supostamente controlar gastos com exames e receitas e reclamam que elas limitam sua autonomia profissional e prejudicam a qualidade da assistência.

O problema atinge mais de 90% dos médicos que trabalham com convênios, diz pesquisa da Associação Paulista de Medicina (APM) e da Associação Médica Brasileira (AMB). :: LEIA MAIS »

População pode participar de consulta pública sobre planos de saúde

DO PANTANAL NEWS/GOVERNO FEDERAL

Está aberta à população uma consulta pública sobre adaptação e migração de contratos de planos de saúde. Até 5 de janeiro de 2011, os interessados podem enviar contribuições para a proposta de resolução normativa do órgão sobre o tema. A consulta foi aberta pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

A adaptação ou migração são destinadas aos beneficiários de planos individuais/familiares e às pessoas jurídicas contratantes de planos coletivos que firmaram contratos antes de 2 de janeiro de 1999, ou seja, antes da promulgação da Lei nº 9.656/98. :: LEIA MAIS »

Viúvas poderão manter plano de saúde

DO CORREIO PRESS

Viúvas, viúvos e outros dependentes não podem mais ser expulsos do plano de saúde depois da morte do titular, determinou a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) em nova norma divulgada nesta sexta-feira (5).

É comum em alguns contratos de planos de saúde –especialmente nos anteriores à regulamentação do setor, em 1999– constarem cláusulas sobre a remissão, que é a continuidade do atendimento aos dependentes após a morte do titular.
Em geral, os dependentes ficam um período isentos de pagar a mensalidade e, depois disso, a operadora cancela a assistência médica. :: LEIA MAIS »

Idade não deve impedir renovação de planos de saúde

DE A NOTÍCIA

O alto risco do contrato em função da idade avançada não pode ser razão para rescisão do vínculo com os planos de saúde, decidiu de forma unânime a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A posição da corte foi tomada ao julgar o caso de um grupo de idosos ligados à Associação Paulista de Medicina (APM) e a SulAmérica Seguro de Saúde.

Os segurados contestavam a iniciativa da seguradora de não renovar mais as apólices coletivas por causa da “alta sinistralidade” dos associados, em sua maior parte de faixas etárias mais avançadas. A SulAmérica teria informado ainda que os idosos precisariam aderir a nova apólice com aumento de 100% do plano de saúde. :: LEIA MAIS »

Planos de saúde terão prazo para marcar consultas e exames

DO DIÁRIO DO GRANDE ABC

Chegar até o médico através do plano de saúde vai ficar mais fácil

Os meses de espera para marcar consultas, exames ou cirurgias nos planos de saúde estão com os dias contados. O plano da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) é aprovar nos próximos 15 dias novas normas para as operadoras. Marcar consulta básica não poderá levar mais do que sete dias.

As operadoras deverão cumprir prazos que variam de três a 21 dias, dependendo da especialidade. Segundo o órgão, o fiscal será o próprio usuário do plano de saúde que, ao passar por dificuldades, deverá reclamar primeiramente na operadora para depois recorrer à ANS, que investigará o caso. :: LEIA MAIS »

93% dos médicos de SP se queixam de interferência de planos de saúde

DA FOLHA ONLINE

Os médicos de São Paulo desaprovam os planos de saúde com que trabalham, acham que eles interferem em sua autonomia e que isso prejudica o atendimento. A informação é da reportagem de Cristina Moreno de Castro e Samia Mazzucco publicada na edição desta sexta-feira da Folha.

Em pesquisa feita pelo Datafolha, a pedido da APM (Associação Paulista de Medicina), a nota média atribuída pelos médicos às operadoras foi de 4,7, de zero a dez. Mais do que isso, 93% deles afirmaram sentir que há interferência dos planos de saúde em sua autonomia.

Entre as interferências, os médicos dizem que não recebem por procedimentos feitos, que os planos limitam o número de exames e que a burocracia dos planos retarda a internação de pacientes. “Isso causa grave prejuízo a quem trabalha e à população que gasta recursos para garantir à família um atendimento melhor”, diz Jorge Curi, presidente da APM. A pesquisa ouviu médicos de todas as especialidades.

Falta regulação para os planos de saúde

DE O GLOBO

Especialistas acreditam que o mercado de saúde suplementar do Brasil precisa ser repensado, já que é um dos menos regulados do país.

Apenas os planos de saúde individuais e familiares, que representam 20% do total, seguem as regras na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Problemas com reajustes, negativa de cobertura e descredenciamento são as questões mais reclamadas, mostra a quarta matéria da série sobre os 20 anos do Código de Defesa do Consumidor (CDC), publicada neste domingo pelo jornal O GLOBO.

Para o diretor do Departamento Nacional de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, Ricardo Morishita, o principal ponto a ser pensado é que a saúde suplementar não é suplementar. Ele afirma que o fortalecimento da saúde pública é a única forma de melhorar a qualidade e a concorrência da saúde privada:

– Primeiro é preciso ver que tem muita coisa que funciona na saúde pública, como as cirurgias de alta complexidade, as campanhas de vacinação. É preciso ampliar essa qualidade. O Brasil já tem instituições fortes e uma prática democrática com as quais o consumidor-cidadão pode contar para exigir seu direito à saúde.

ANS cria canal para agilizar reclamações sobre planos de saúde

DO DIÁRIO CATARINENSE

A partir de novembro, usuários de planos de saúde terão um canal direto dentro da Agência Nacional de Saúde (ANS) para reclamar contra as operadoras. O objetivo é tentar resolver mais rapidamente os problemas sobre negativa de cobertura.

A norma dá prazo de cinco dias úteis para que as operadoras respondam à ANS. Caso não atenda o paciente nem justifique, será aberto processo que pode resultar em multa de até R$ 80 mil. Reclamações podem ser feitas no site da ANS (www.ans.gov.br), pelo telefone (0800-701-9656) ou pelos núcleos da ANS.

ANS libera reajuste de até 10,9% para 5 convênios

Do Diário do Grande ABC

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) publicou ontem teto de reajuste, que pode vigorar neste ano, de até 10,91%. A mudança vai afetar cerca de 585 mil conveniados no País. Este universo considera apenas os contratos firmados antes de 1998.
As seguradoras especializadas em saúde Sul América, Bradesco Saúde e Itaúseg Saúde, receberam a liberdade de atualizarem seus preços em até 10,91%.

Por outro lado, as operadoras de medicina de grupo Amil Assistência Médica Internacional e Golden Cross estão autorizadas a reajustarem seus serviços em até 7,30%.
O reajuste está autorizado para aplicação, a partir de julho de 2010, aos contratos com data de aniversário entre junho de 2010 e maio de 2011 para a Amil. E entre julho de 2010 e junho de 2011 para as demais, não podendo haver cobrança retroativa ao período anterior a julho de 2010, informou a ANS em nota publicada em seu site.

Planos de saúde negam pedidos de 70% dos ortopedistas do País

de O Estado de S.Paulo

por Clarissa Thomé/Karina Toledo

Procedimentos ortopédicos são o terror das operadoras de planos de saúde, pois, além de caros se avolumam a cada dia devido a fatores típicos da modernidade, tais como estresse, ansiedade, depressão, falta de tempo, velocidade provocando acidentes que variam de leves a gravíssimos.

Pesquisa do Ibope revela interferência das operadoras de saúde no trabalho dos médicos

Sete em cada dez ortopedistas do País já tiveram algum tipo de atendimento solicitado para o paciente negado pelo plano de saúde. As cirurgias encabeçam a lista, com 55%.

A pesquisa, feita pelo Ibope para a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot), evidencia a interferência das operadoras no trabalho médico e corrobora os dados de associações de defesa do consumidor.

Também aparecem na lista de itens recusados pelas operadoras procedimentos ambulatoriais ou exames (37%), material cirúrgico (25%), próteses (12%) e implantes (9%). A pesquisa ouviu 400 profissionais. :: LEIA MAIS »

Justiça obriga Bradesco a vender planos individuais e familiares

de A Tarde Online

por Iracema Chequer

Joseane Suzart, autora da ação: “A saúde é um bem por excelência, diferente de um bem de consumo”

Órgãos de defesa do consumidor e o Ministério Público da Bahia pressionam as operadoras de planos saúde a voltarem a comercializar coberturas individuais e familiares. O juiz Benício Mascarenhas Neto, da 26ª Vara dos Feitos das Relações Cíveis, de Consumo e Comerciais da Comarca de Salvador, concedeu liminar, segunda-feira, 22, obrigando o Bradesco Saúde a incluir estes planos entre os serviços prestados pela empresa em Salvador. A decisão não é inédita e cabe recurso.

A Justiça baiana acatou ação civil pública do MP-BA, que considerou inconstitucional a oferta exclusiva de planos coletivos associados a pessoas jurídicas. Isto porque, para o MP-BA, os serviços privados de saúde suplementam a atuação do poder público, e as empresas devem respeitar os princípios de universalidade, igualdade e continuidade. :: LEIA MAIS »

Planos de saúde são obrigados a ampliar cobertura a partir de segunda

da Agência Brasil

BRASÍLIA – Entram em vigor nesta segunda-feira as novas regras para os planos de saúde, estabelecidas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Com a mudança, as operadoras serão obrigadas a incluir na cobertura básica 70 procedimentos e ampliar o limite de consultas em algumas especialidades. O anúncio sobre as mudanças foi feito em janeiro.

A nova listagem beneficiará 44 milhões de usuário de planos. Os serviços deverão constar em todos os planos de saúde contratados a partir do dia 2 de janeiro de 1999. Segundo ANS, as mudanças não terão grande peso nos custos, mas essa elevação pode ser repassada principalmente no caso dos contratos de grupos.

Entre os novos procedimentos estão a cobertura obrigatória de transplante de medula óssea por parentes ou banco de medula, a inclusão de 16 procedimentos odontológicos, como colocação de coroas e blocos dentários, e o exame de imagem para identificação de câncer em estágio inicial e avançado, o PET-SCAN oncológico. Esse procedimento, que pode facilitar diagnósticos, é considerado caro pelos planos de saúde. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia