WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
;
o blog artigos curiosidades dicas qualidade de vida fale conosco
junho 2021
D S T Q Q S S
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

:: ‘planos de saúde’

Fisioterapeutas dizem que plano de saúde paga apenas R$ 12 por sessão

DO DOURADOS AGORA

Em audiência no Senado, operadoras argumentaram que custos da saúde são crescentes e que lucratividade é baixa.

Numa audiência pública realizada ontem no Senado, o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional acusou as operadoras de planos de saúde de pagar valores inferiores aos do mercado aos profissionais da rede credenciada.

De acordo com a entidade, um fisioterapeuta recebe dos planos de saúde entre R$ 5 e R$ 12 por atendimento. :: LEIA MAIS »

Médicos confirmam paralisação amanhã

DO DIÁRIO DO NORDESTE

POR GABRIELA RAMOS

Apesar do movimento, casos emergentes serão atendidos. Os planos ganharam 1,9 mi de clientes a mais em 2011

Mesmo com a indicação por parte dos planos de saúde de que a paralisação dos médicos não afetará o atendimento, as entidades médicas do Ceará reforçam que ela irá ocorrer amanhã – seguindo a tendência nacional.

Os pacientes que devem ser mais afetados são os com consultas e cirurgias marcadas para a data. Os casos emergentes serão atendidos normalmente, diz o presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará (Simec), José Maria Pontes. O objetivo, destaca o presidente do Simec, é reivindicar contra os baixos honorários pagos e também contra a pouca autonomia na relação do médico com os pacientes. :: LEIA MAIS »

Planos de saúde que negarem exames serão multados

DO CORREIO DA BAHIA

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a nova norma está prevista para começar a ser aplicada em janeiros de 2013

O convênio que negar a autorização para que o cliente realize exames ou outros procedimentos médicos deverá explicar, no prazo de até 48 horas, o motivo da negativa ou pagará multa de R$ 30 mil. A norma deverá começar
a valer em janeiro, segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

De acordo com a agência, até outubro, a regra ficará em consulta pública, período no qual clientes, empresas e especialistas podem dar opiniões e sugerir mudanças. Depois disso, o órgão analisará as sugestões e aprovará a
regra, o que está previsto para janeiro. Segundo a ANS, a decisão de estabelecer prazos para que a operadora justifique a negativa foi um pedido do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). :: LEIA MAIS »

Carteirinhas de planos de saúde também terão número do SUS

DE A TRIBUNA ONLINE

Usuários do sistema privado de saúde também precisam ter o Cartão Nacional de Saúde (CNS). Porém, o cadastro a ser utilizado para monitorar o histórico de quem passa pelas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) ficará a cargo das operadoras. A medida passa a valer em junho.

Segundo as regras do Ministério da Saúde, cada brasileiro terá um cadastro único, que poderá ser consultado em todo território nacional. Para obter o registro, basta comparecer a uma unidade vinculada ao SUS, como policlínicas e hospitais, munido de um documento com foto.

O registro irá possibilitar o cadastro eletrônico de saúde nas bases de dados dos hospitais públicos e privados. Todos os procedimentos que o usuário executou no SUS estarão contidos no CNS, tais como reações alérgicas a medicamentos, médicos que os atenderam e as unidades de saúde onde foram realizados os procedimentos. :: LEIA MAIS »

Plano de saúde para o idoso deve ficar até 60% mais barato

DO R7

Idosos terão abatimento considerável nos planos de saúde

Todos os meses, um pedaço considerável do orçamento da dona de casa Irene Serio, de 60 anos, tem um destino certo: pagar a conta do plano de saúde. Juntos, dona Irene e o marido, seu Anor, de 63 anos, pagam R$ 2.200 por um convênio médico “razoável”, segundo classificação dela própria.

— Quando eu completei 59 anos, [a empresa] quase que dobrou meu pagamento. Eu pagava R$ 600 e passou para R$ 1.100. Eu não tenho nenhuma doença preexistente grave. Tenho doenças corriqueiras da velhice, como hipertensão, que não é uma coisa dispendiosa. Um exame anual de controle resolve. Não tem nada assim que se gaste muito dinheiro do plano de saúde. :: LEIA MAIS »

Convênio não pode limitar despesa hospitalar

DO DIÁRIO DO GRANDE ABC

POR GILMARA SANTOS

Os planos de saúde não podem fixar limite de despesas com internações hospitalares. A decisão é do STJ (Superior Tribunal de Justiça), que considerou abusiva a cláusula que previa tempo máximo. O entendimento foi fixado no julgamento de recurso especial contra decisão da Justiça paulista que havia considerado legal a cláusula limitativa de custos.

Na ação, uma mulher ficou internada em UTI por 60 dias. No 15º dia, o convênio recusou-se a custear o restante do tratamento, alegando que havia sido atingido o limite máximo do custeio. A família entrou com pedido de liminar que obrigou o plano a pagar todo o tratamento. O convênio entrou com pedido de ressarcimento e saiu vitorioso. A família, então, recorreu ao STJ.

De acordo com a diretora do Procon, Ana Paula Satcheki, o fato não trouxe novidades, pois em 2004 o STJ já havia editado a Súmula 302 sobre a mesma matéria, destacando que é abusiva a cláusula contratual de plano de saúde que limita no tempo a internação hospitalar do segurado.

Planos de saúde e SUS vão cobrir custos de reimplante de próteses mamárias de silicone rompidas

DO HNEWS

As mulheres com implantes de mama precisam procurar a rede de saúde pública. Anunciada ontem a decisão de forma conjunta pelo Ministério da Saúde, Anvisa e ANS

A substituição de próteses mamárias com ruptura das marcas Poly Implant Prothese (PIP) e Rofil será custeada pela rede pública de saúde e pelos planos de saúde, tanto para mulheres que fizeram cirurgia reparadora como para mulheres que passaram por procedimento estético. A decisão foi anunciada ontem, de forma conjunta, pelo Ministério da Saúde, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). :: LEIA MAIS »

ANS amplia cobertura mínima de planos de saúde; confira mudanças

DO TERRA

Desde 1º de janeiro, os planos privados de assistência médica devem garantir 69 novos procedimentos obrigatórios a seus segurados, segundo resolução publicada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) em agosto de 2011.

Confira a lista de novos procedimentos obrigatórios

As operadoras tiveram cerca de cinco meses para se adaptar ao novo Rol de Procedimentos e Eventos de Saúde – lista dos procedimentos que devem ser obrigatoriamente oferecidos pelas empresas. Confira a seguir as principais mudanças:

Exames e cirurgias

Segundo a ANS, as principais mudanças são a inclusão de 41 novos tipos de cirurgias por vídeo, novos exames como de DNA (genes EGFR, K-RAS e HER-2) e exame para diagnóstico de câncer de mama. Além dessas inclusões, também foi ampliado o número máximo de consultas para nutricionistas, inclusão de tratamento tipo terapia imunobiológica (para reumatoide, artite, doença de cronh e espodilite) e novos tratamentos como implante de anel intraestomal, tratamento ocular quimioterápico e atiotomagrafia coronariana. :: LEIA MAIS »

Planos de saúde são obrigados a cumprir prazos

DE A TRIBUNA

Esgota-se o prazo de adaptação das operadoras de planos de saúde. A partir de amanhã entra em vigor a norma da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) que obriga as empresas a cumprir prazos para o agendamento de consultas, exames e cirurgias.

O tempo limite varia de três a 21 dias, dependendo do tipo de procedimento. As novas regras estão dispostas na Resolução Normativa nº 259, publicada em junho de 2011. Na região, as empresas ouvidas por A Tribuna asseguram estar adequadas às novas regras.

Segundo a ANS, as novas normas têm por objetivo garantir que o beneficiário tenha acesso à totalidade contratada. Também estimula as operadoras a promover o credenciamento de prestadores de serviços nos municípios que fazem parte de sua área de cobertura. :: LEIA MAIS »

Ginecologistas distribuem pizza em protesto para aumento de honorários

DO SRZD

Em protesto por um aumento nos honorários concedidos pelos planos de saúde a cada consulta, integrantes da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo (Sogesp) distribuíram pizza aos visitantes do 16.º Congresso Paulista de Ginecologia e Obstetrícia. A reivindicação é que a o valor passe de R$ 30,00 para R$ 80,00.

De acordo com o membro da Sogesp Cesar Fernandes, “a ideia é mostrar que o valor médio de uma consulta, atualmente, não paga uma pizza”.

A ginecologia é a primeira especialidade a parar o atendimento aos planos, consequentemente causando problemas a cerca de 48 operadoras e muitos usuários. Outras especialidades também vão fazer paralizações, mas sempre em rodízio. :: LEIA MAIS »

Médicos param atendimentos a planos no dia 21

DO BEM PARANÁ

Suspensão será feita por 24 horas e não vai atingir procedimentos de urgência e emergência

Médicos se organizam para paralisar, no dia 21 de setembro, em todo o país, atendimentos aos planos de saúde que não negociaram adequadamente o reajuste nos honorários, pedido que originou uma paralisação nacional em abril.

A suspensão será feita por 24 horas e não vai atingir procedimentos de urgência e emergência, afirma Aloísio Tibiriçá Miranda, coordenador da Comissão Nacional de Saúde Suplementar (que reúne entidades médicas) e 2º vice-presidente do CFM (Conselho Federal de Medicina). :: LEIA MAIS »

Planos de saúde deverão informar a qualificação dos prestadores de serviço

DO SEGS

As operadoras de planos de saúde serão obrigadas a divulgar a qualificação da rede de prestadoras de serviço. Dessa forma, o consumidor terá mais informações na hora de escolher um plano ou um prestador de serviços em saúde. A determinação está prevista na Resolução Normativa 267, publicada pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) nesta quinta-feira (25).

O material de divulgação deverá conter informações sobre hospitais, laboratórios e clínicas, como o certificado de qualificação de hospitais e laboratórios, participação no programa de notificação de eventos adversos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e publicação de indicadores de qualidade. No caso dos profissionais de saúde, deverá ser informada a qualificação profissional determinada pelos conselhos e entidades da classe. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia