WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
;
o blog artigos curiosidades dicas qualidade de vida fale conosco
novembro 2020
D S T Q Q S S
« jul    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

:: ‘obesidade’

O que é alimentação saudável para você?

DA REDAÇÃO

Nutricionista alerta: nenhum alimento deve ser considerado vilão da dieta

Hoje em dia ouvimos muito falar sobre alimentação saudável, cardápio fitness ou funcional, produtos integrais e diversas opções de receitas milagrosas. Mas o que isso tudo significa e quais os benefícios reais para a manutenção da saúde?

Aquele biscoito recheado ou coberto com chocolate, também a macarronada da nonna e o sanduichinho no meio da tarde podem e devem fazer parte da sua dieta! De acordo com Marcela Tardioli, consultora em nutrição da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI) uma refeição balanceada deve contemplar diferentes categorias de alimentos, sejam eles, pães, frutas, saladas, carnes, leites, massas, grãos, entre outros. “Nesta composição entram todos os grupos de nutrientes, proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais, portanto, não podemos ‘vilanizar’ e excluir nenhum alimento específico”, explica. :: LEIA MAIS »

Ficar sentado é o novo ‘fumar’, afirma médica norte-americana

DA REDAÇÃO

Especialistas debatem sobre obesidade e distúrbios alimentares no XXI Congresso Brasileiro de Nutrologia, em São Paulo

“Ficar sentado é o novo ‘fumar’. Não se movimentar e buscar um estilo de vida saudável é extremamente prejudicial. Atualmente, já é possível fazer uma conexão de que, quanto mais tempo a pessoa passa sentada, maior é o risco de mortalidade por doenças ligadas ao peso e à falta de exercícios”, afirma a Profa. Dra. Rita Raman, médica pediatra pela Universidade de Oklahoma, em palestra no Congresso Brasileiro de Nutrologia, que é realizado em São Paulo.

A obesidade está associada a diversas doenças, como diabetes, doenças cardiovasculares, colesterol, artrite e doenças nas articulações, doenças autoimunes e problemas psicossociais, e paralelamente o sedentarismo é um dos piores fatores. :: LEIA MAIS »

Nutricionista explica causas e consequências da obesidade

DA REDAÇÃO

Doença atinge um em cada cinco brasileiros, aponta pesquisa do Ministério da Saúde

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde na última semana (17 de abril) alertam toda a população: obesidade atinge um em cada cinco brasileiros. O país, que antes lutava principalmente no combate à fome, registrou aumento de 60% no número de obesos nos últimos 10 anos, passando de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016.

“Estes indicadores mostram que já nos deparamos com uma doença endêmica, que caminha para a epidemia”, ressalta Vanderli Marchiori, consultora em nutrição da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (ABITRIGO). O Sistema Único de Saúde (SUS) gasta mais de R$ 450 milhões anualmente para tratar problemas decorrentes desta causa, aproximadamente 30% do total destinado aos serviços de saúde pública. “De nada adianta todo este investimento se a população não se conscientizar sobre a importância da alimentação equilibrada, iniciativa que previne e pode reverter a realidade preocupante que vivemos”, pontua a nutricionista. :: LEIA MAIS »

5 dicas para emagrecimento

DA REDAÇÃO/YOU TUBE

Você pode emagrecer de várias maneiras, mas com essas 5 dicas o resultado vai ser mais eficaz e de forma bem saudável. Márcio Atalla traz informações interessantes sobre esse assunto. Ele é professor de Educação Física, com especialização em Treinamento de Alto Rendimento, e pós-graduado em Nutrição, pela USP.


Dia Mundial do Rim alerta para obesidade, um dos principais fatores para o desenvolvimento da Doença Renal Crônica

DA REDAÇÃO

Campanha alerta que a taxa de obesidade vem crescendo paralelamente aos índices das doenças renais crônicas

A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos. Outro fator alarmante é o número de crianças com sobrepeso e obesidade, que pode chegar – em um futuro próximo – a 75 milhões de casos.

No Brasil, a obesidade vem crescendo cada vez mais. Alguns levantamentos mostram que mais de 50% da população está acima do peso. Entre crianças, estaria em torno de 15%. A obesidade aumenta o risco de morte e contribui para muitas outras doenças, como diabetes, hipertensão, dislipidemias (distúrbio nos níveis de lipídios e/ou lipoproteínas no sangue), doenças cardiovasculares, transtornos emocionais e também doença renal crônica, onde estudos apontam que pessoas com excesso de peso ou obesas têm de 2 a 7 vezes mais riscos de desenvolver o problema nos rins, em comparação com as de peso normal. :: LEIA MAIS »

Como surgem as estrias

DA REDAÇÃO

As estrias atróficas são lesões decorrentes da degeneração das fibras elásticas da pele que ocorrem por sua distensão exagerada ou devido a alterações hormonais e nutricionais (com circulação deficiente). É comum o surgimento durante a puberdade em decorrência do crescimento acelerado nesta fase da vida e também na obesidade e gravidez.

O problema pode atingir os dois sexos, porém é mais freqüente no sexo feminino, sendo uma das principais queixas estética entre as mulheres.

02A ruptura das fibras forma lesões lineares, geralmente paralelas, que podem variar de um a vários centímetros de extensão. Surgem principalmente nas coxas, nádegas, abdômen (gravidez), mamas e dorso do tronco (homens). inicialmente, as lesões são avermelhadas ou róseas evoluindo mais tarde para uma tonalidade esbranquiçada (pelo menos um ano após início).

Em pessoas de pele morena as estrias podem ser mais escuras que a pele sadia. A pele na área afetada tem consistência frouxa. O surgimento das estrias depende, em grande parte, de uma tendência pessoal. :: LEIA MAIS »

Cientistas descobrem, em verme, gene contra a obesidade

DA REDAÇÃO

Pesquisadores australianos e dinamarqueses descobriram em um verme um gene responsável pela sensação de saciedade, que poderia ajudar a combater a obesidade, segundo um estudo publicado nesta segunda-feira.

Este gene, batizado “ETS-5”, controla os sinais que o cérebro manda aos intestinos e que provocam a sensação de saciedade, assim como a necessidade de dormir ou de fazer exercícios após ter comido, explicam os cientistas, cuja pesquisa foi publicada na revista americana Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS). :: LEIA MAIS »

Exercícios físicos não ajudam no controle de peso, concluem cientistas

DA REDAÇÃO

Uma equipe internacional de pesquisadores coletou novas evidências de que os exercícios físicos podem não ser a chave para controlar o peso.

Eles estudaram adultos jovens de cinco países e constataram que nem a atividade física e nem o tempo sedentário estavam associados com o ganho de peso.

“Os resultados do nosso estudo indicam que a atividade física pode não proteger você de ganhar peso,” resume Lara Dugas, da Universidade Loyola (EUA), que liderou o estudo. :: LEIA MAIS »

Três razões pelas quais ser impaciente pode ser prejudicial à saúde

DA BBC BRASIL

Numa sociedade em que o tempo livre está cada vez mais escasso, a impaciência é uma característica que tem se tornado bastante comum.impaciente

A espera pelo ônibus atrasado, aquele choro interminável de um bebê e a fila eterna no supermercado são situações cotidianas, mas, diante até dessas pequenas coisas, nossa paciência não durar muito.

Aprender a esperar realmente nunca foi fácil. Mas fazer isso pode ser muito importante – não só pelo bem-estar diário, mas também para evitar problemas de saúde.

Quando ficamos irritados e impacientes, os níveis de estresse e adrenalina aumentam. Mas existem outros perigos vinculados à falta de paciência que, ao menos à primeira vista, não parecem tão evidentes – e podem ser preocupantes: :: LEIA MAIS »

Obesidade pode elevar o risco de câncer em mulheres

DA REDAÇÃO

Mulheres obesas podem ter 40 por cento mais chances de desenvolver sete tipos de câncer. É o que indica uma pesquisa feita por uma organização britânica voltada para o tratamento da doença.

No estudo, as participantes com excesso de peso apresentaram uma tendência maior para câncer de intestino, de vesícula, rins, pâncreas, útero, esôfago e das mamas, este último após a menopausa.

Uma das possibilidades, na avaliação dos pesquisadores, é que a doença esteja relacionada com a produção de hormônios nas células de gordura.

O estudo contou com a participação de mil mulheres obesas e mostrou que 274 delas tinham mais chance de desenvolver a doença.

Em um outro grupo pesquisado, com mil participantes que tinham peso normal, 194 apresentaram o risco de ser diagnosticadas com câncer no futuro.

Uma pesquisa da organização britânica Cancer Research UK sugere que a obesidade aumenta em até 40% as chances de mulheres desenvolverem sete tipos de câncer. :: LEIA MAIS »

Obesidade pode encurtar a vida em 8 anos, diz estudo

DE A TARDE

A obesidade e a obesidade severa podem encurtar em oito ano a expectativa de vida e em até 19 anos em estado de boa saúde entre o público-alvo de um estudo publicado nesta sexta-feira.

Conduzido pelo doutor Steven Grover, da Universidade McGill (Montreal, Canadá), e publicado na revista especializada The Lancet Diabetes & Endocrinology, o estudo partiu de um modelo matemático realizado sobre uma ampla base de dados americana (National Health and Nutrition Examination Survey 2003-2010), que engloba milhares de adultos entre 20 e 79 anos de idade. :: LEIA MAIS »

Comendo muito? Veja 10 razões que levam ao exagero e desconforto

DO TERRA SAÚDE

Pular o café da manhã, confundir fome com sede e apostar em porções generosas são alguns dos motivos que levam ao exagero

Existem aqueles dias em que extrapolamos na alimentação e, como resultado disso, sentimos o estômago cheio de uma maneira muito desconfortável. Mas se esta sensação é frequente na sua vida, é hora de apostar em mudanças saudáveis.

O site Fitsugar listou 10 motivos que fazem com que as pessoas acabem comendo exageradamente de uma só vez. Confira e reavalie seus hábitos alimentares.

1. Café da manhã
Não tomar café da manhã parece uma boa maneira de não ganhar calorias, mas, quando chegar o horário da sua próxima refeição, você estará mais propenso a devorar tudo o que ver pela frente. Se você nunca tem tempo para preparar esta refeição, tente apostar em receitas simples, como smoothies, ovos mexidos ou barrinhas de cereal. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia