WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
;
o blog artigos curiosidades dicas qualidade de vida fale conosco
setembro 2021
D S T Q Q S S
« jul    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

:: ‘dengue’

Bahia tem mais 3 casos confirmados de Guillain-Barré e número chega a 53

DO G1 BA

A doença é rara com incidência estimada em uma pessoa para cada100.000. O portador apresenta dor nos membros inferiores seguida por fraqueza muscular progressiva de distribuição geralmente simétrica e distal que evolui para diminuição ou perda dos movimentos de maneira ascendente com flacidez dos músculos, impossibilitando a locomoção espontânea.

Balanço atualizado foi divulgado nesta sexta-feira (24) pelo governo baiano. Em 49 foram confirmadas doenças como dengue, zika ou chikungunya.

Mais três casos foram confirmados da Síndrome de Guillain-Barré na Bahia. De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), o número passou de 50 para 53, em novo balanço, divulgado nesta sexta-feira (24). Ao todo, a Bahia tem ainda 115 notificações da doença.

A maior parte das confirmações está em Salvador, com 38 pacientes, Feira de Santana está em segundo, com três, e Valença tem dois. Segundo a Sesab, estes são os três municípios com o maior número de casos. Além deles, a Secretaria informou que, dos casos que ainda estão sendo investigados, em 24 a doença foi descartada.

O boletim atualizado apontou ainda que, dos 53 casos confirmados, em 49 há o histórico de doença exantemática, que pode ser dengue, zika ou chikungunya. :: LEIA MAIS »

Anticorpo que pode neutralizar vírus da dengue é descoberto

DO UAI TERRA

Enquanto isso, as campanhas de combate à dengue se intensificam no Brasil.

Cientistas do Imperial College London descobriram uma nova classe de anticorpos capazes de neutralizar as quatro formas do vírus da dengue, conforme publicou nesta segunda-feira a revista britânica “Nature Immunology”.

Pesquisadores londrinos identificam uma classe de anticorpos capaz de combater os quatro tipos virais da doença. A proteção completa pode reduzir os casos da enfermidade. Hoje, são 400 milhões por ano em todo o mundo.

A dengue é uma infecção sistêmica transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que pode infectar humanos com quatro tipos virais (DENV sorotipo-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4). Eles se diferem por cerca de 30% a 35% na sequência de aminoácidos. Dessa forma, a vacinação para um sorotipo leva a proteção ao longo da vida apenas contra ele. Por esse motivo, a maior parte das estratégias de desenvolvimento de imunizantes da dengue busca opções de vacinas tetravalentes, capazes de proteger o organismo de todas as cepas do patógeno. :: LEIA MAIS »

Mosquito mutante é testado para combater a dengue

DO REGIAONORDESTE.COM

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) começou a testar nesta quarta-feira (24) uma forma inovadora de combater a dengue na cidade do Rio de Janeiro. Mosquitos modificados em laboratório foram liberados nesta manhã no bairro de Tubiacanga, na Ilha do Governador, zona norte, onde moram 3 mil pessoas.

Semanalmente serão liberados aproximadamente dez mil Aedes aegypti infectados com a bactéria Wolbachia, encontrada no meio ambiente e capaz de impedir a transmissão da dengue pelo mosquito. Na primeira fase do projeto, iniciado há dois anos, os pesquisadores monitoraram a população de mosquitos na região com o apoio dos moradores do bairro. :: LEIA MAIS »

Calha e vaso sanitário podem virar foco de dengue nas férias

DO TERRA SAÚDE

Antes de pegar a estrada para repetir a cerimônia anual de pular as sete ondinhas, costuma-se cumprir outro ritual: fechar todas as portas da casa, suspender a assinatura do jornal, garantir a comida do cachorro, ligar o alarme, deixar os vizinhos avisados – uma série de cuidados para evitar que a residência seja invadida por ladrões. Mas muitos esquecem de se proteger contra outro visitante indesejado: o mosquito da dengue. Como verão é época de chuvas mais frequentes, descuidar-se pode ser abrir a casa para o Aedes aegypti.

“Uma medida importante é ficar atento a focos de vazamento dentro de casa. Nós eliminamos as pequenas poças no dia a dia, mas em uma semana ela pode se tornar um espaço propício para o mosquito”, afirma o coordenador de vigilância ambiental da Prefeitura do Rio de Janeiro, Marcus Ferreira. Os focos podem ser lugares mais inusitados, como um vaso sanitário – caso seja deixado por muito tempo com a tampa levantada. Além disso, evite deixar objetos côncavos em lugares descobertos: se chover, eles podem acumular água.

“Se você tem plantas, em vez de encharcar o vaso, encha uma garrafa PET com água, vire de cabeça para baixo e a coloque na terra. Assim, a planta vai sugar aos poucos apenas o que considerar necessário, evitando poças no local”, recomenda Ferreira. Ele ainda sugere atenção às calhas, que devem ser limpas antes de viajar, para retirar as folhas. “Debaixo da pia é comum que ocorram vazamentos junto do sifão, então o ideal é não deixar nada debaixo dela, para prevenir acúmulos de água. O mosquito da dengue é bastante oportunista, e seus ovos podem eclodir em até sete dias. Então é preciso sempre estar atento.”

Descoberta pode interromper ciclo de contaminação da dengue

DO TERRA SAÚDE

Cientistas descobriram uma ligação genética entre o mosquito hospedeiro e o vírus da dengue que determina a transmissão da doença. Com o resultado, a pesquisa feita por franceses e tailandeses pode criar métodos para interromper o ciclo de contaminação no seu início e, assim, diminuir os casos de dengue.

O estudo feito pelo Instituto de Pesquisas de Ciências Médicas das Forças Armadas (Afrims), em Bangkok, juntamente com o Instituto Pasteur, em Paris, revelou que os mosquitos são sensíveis a uma determinada estirpe do vírus e, ao mesmo, tempo resistente a outras. Os cientistas esperam que a descoberta leve a novos medicamentos para controlar a dengue e, no futuro, a produção de mosquitos transgênicos mais resistentes ao vírus. :: LEIA MAIS »

Luz pode destruir e esterilizar pernilongo da dengue

DA AGÊNCIA USP

Pesquisadores da USP em São Carlos estão utilizando a terapia fotodinâmica para eliminar o Aedes aegypti, o pernilongo transmissor da dengue.

A pesquisadora Larissa Marila de Souza mergulhou larvas de diferentes estágios do pernilongo da dengue em uma solução na qual se encontrava dissolvida uma droga fotossensibilizadora, cujo comportamento é controlado por luz.

Depois disso, expôs a solução com as larvas a diferentes fontes de luz (solar, lâmpadas fluorescentes e LEDs).

Foi quando verificou que a mortalidade das larvas foi bastante significativa: acima de 90% quando expostas à luz solar e a lâmpadas fluorescentes e entre 70% e 80% quando expostas aos LEDs.

A Terapia Fotodinâmica é resultado da interação do fotossensiblizador com a luz e com o oxigênio, e é uma técnica constantemente utilizada pelo Grupo de Óptica no tratamento de lesões malignas e no controle microbiológico. :: LEIA MAIS »

Linhagem transgênica auxilia a combater mosquito da dengue

DA AGÊNCIA USP

Em Jacobina (BA), serão liberados cerca de 4 milhões de mosquitos nos próximos 3 anos

A liberação de machos do mosquito Aedes aegypti geneticamente modificados é uma técnica eficiente para o combate ao inseto selvagem, transmissor da dengue.Entre outubro 2011 e setembro 2012, o Projeto Aedes Transgênico (PAT), realizado em convênio entre o Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP e a biofábrica Moscamed Brasil, soltou cerca de 17 milhões de mosquitos transgênicos em dois bairros do município de Juazeiro, Bahia, levando a população selvagem do inseto à supressão. “A ideia é que, se conseguimos diminuir a população do mosquito, consequentemente se conseguirá diminuir a transmissão da doença”, conta a pesquisadora do ICB Margareth de Lara Capurro, coordenadora do PAT. :: LEIA MAIS »

Idosos têm 12 vezes mais chances de morrer de dengue

DO REGIÃO NOROESTE

Idosos têm 12 vezes mais chances de morrer de dengue do que o restante da população. A conclusão é de um levantamento feito pelo Ministério da Saúde.

Segundo ele, 132 pessoas morreram do doença em todo País nos três primeiros meses do ano. Desse total, quase a metade tinha 60 anos ou mais.

O Ministério relaciona aumento do risco por haver maior incidência de doenças crônicas nessa faixa etária. As mais comuns seriam a hipertensão e o diabetes. :: LEIA MAIS »

Chuvas trazem doenças com sintomas que demoram a surgir

DO G1

Com a chuva, vem os alagamentos que colocam as pessoas em contato direto com a fonte de contaminação.

A temporada de chuvas no final do ano traz à população doenças transmitidas pela presença de agentes infecciosos nas águas, com sintomas que podem demorar a surgir. Patologias como leptospirose, diarreias e até hepatite A aumentam nesta época do ano e a população precisa estar atenta a sintomas como febre, dores e amarelamento da pele, que podem representar ameaças à saúde, mesmo depois de dias do contato com a água.

O perigo dos alagamentos existe por causa do acúmulo de lixo nas ruas e pela possibilidade de animais como ratos contaminarem a água com urina, além da presença de fezes humanas com vírus e bactérias. :: LEIA MAIS »

Casos de dengue crescem 30% e há risco de epidemia durante o Verão

DO CORREIO DA BAHIA

Este ano, 66.684 casos de dengue já foram registrados na Bahia. No Verão, com a umidade e o calor, a tendência é que o mosquito prolifere mais rápido. Por isso, há risco de epidemia da doença

Luana Ribeiro
luana.ribeiro@redebahia.com.br

De janeiro até setembro deste ano, a Bahia já teve 66.684 casos de dengue. Se o número já parece alto, a comparação com 2011 assusta. São 30% de casos a mais que os registrados no mesmo período: 50.974 ocorrências, segundo a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Com isso, fica o alerta: há risco de epidemia de dengue no estado no próximo Verão. O aviso é do Comitê Estadual de Mobilização Social de Prevenção e Controle da Dengue na Bahia.

Os indícios do risco de epidemia não se restringem, no entanto, ao aumento das ocorrências – notificadas em 401 dos 417 municípios baianos. Um novo sorotipo (variação do vírus), o DENV-4, começou a circular no estado em março de 2011 e corresponde atualmente a quase 80% dos casos confirmados.

“É uma doença que se espalha rápido. E como é um sorotipo novo, a maioria das pessoas ainda não tem anticorpos”, explica Elisabeth França, secretária executiva do Comitê e coordenadora do Grupo Técnico Ampliado da Dengue/Sesab. :: LEIA MAIS »

Vacina contra dengue apresenta êxito durante realização de testes

DA REDAÇÃO

Hemorragia subcutânea grande provocada em membro superior de um paciente acometido por Dengue Hemorrágica

Durante uma bateria de teste, com mais de 4.000 pacientes na Tailândia, uma vacina experimental produzida pela empresa francesa do ramo farmacêutico Sanofí Pasteur mostrou eficiência contra três dos quatro tipos da dengue. A empresa informou que os experimentos mostraram que houve uma resposta imune para os quatro sorotipos, mas não foi possível ter uma decisão quanto à eficiência de um deles. Segundo a empresa, os experimentos mostraram que houve uma resposta imune para os quatro tipos, mas ainda não foi possível bater o martelo quanto à eficiência de um deles.

A fabricante francesa quer criar uma vacina que seja capaz de imunizar contra todas as cepas virais. Os testes com a imunização nesse sentido continuam sendo realizados, e há um estudo ainda maior, com cerca de 31 mil pessoas de vários países, em andamento. A nova vacina usa um vírus atenuado, mas ainda vivo. :: LEIA MAIS »

Médico de 31 anos é a primeira vítima fatal da dengue na Bahia em 2012

DA AGÊNCIA A TARDE

Igor trabalhava na Clínica Santa Bárbara, Hospital Antônio Teixeira Sobrinho, além de uma clínica particular em Jacobina.

Segundo funcionários da Clínica Santa Bárbara, em Jacobina (a 345 km de Salvador), onde o médico trabalhava e recebeu os primeiros cuidados clínicos, Igor foi internado na última sexta-feira com uma febre bastante alta.

“No sábado, o dr. Igor chegou a apresentar 42 graus de febre. Como ele era alérgico a medicação antitérmica, os médicos tentaram normalizar a sua temperatura com banhos frios”, informou uma funcionária da unidade, que preferiu não ser identificada.

Como os clínicos não conseguiram normalizar a temperatura corpórea de Igor, o médico foi então transferido para o Hospital Clériston Andrade, em Feira de Santana, no sábado pela manhã.

Chegando ao Clériston, Igor foi levado para o Hospital Couto Maia e, logo após, encaminhado para o Hopital São Rafael, ambos em Salvador. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia