WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
;
o blog artigos curiosidades dicas qualidade de vida fale conosco
julho 2021
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

:: ‘Anvisa’

Anvisa publica novo procedimento para liberação de hemoderivados

DA ANVISA

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou na terça-feira (21) o regulamento para liberação de hemoderivados, medicamentos feitos a partir de plasma humano, importados para fins de consumo no Brasil ou exportação.
Segundo a resolução, a partir de agora, a liberação dos lotes desses medicamentos será feita diretamente pelo Instituto Nacional de Controle da Qualidade em Saúde (INCQS), para tornar o procedimento mais ágil.

A liberação levará em conta resultados de análises laboratoriais, feitas após a coleta de amostras pelas equipes da Anvisa, quando os medicamentos chegarem ao Brasil.
Todos os lotes serão submetidos a análise de controle de qualidade.
Para realizar o procedimento, o INCQS também fará análise documental utilizando-se, ainda, de informações obtidas com a Anvisa sobre a regularidade do produto.
No entanto, segundo a norma, é de responsabilidade do detentor do registro ou importador protocolar junto ao instituto todos os documentos exigidos.

Anvisa proíbe produto para emagrecimento

DA AGÊNCIA ESTADO

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a importação e a comercialização de todos os produtos da marca Divine Shen, usados para emagrecer. Também está interrompida a importação, a fabricação e o comércio da substância caralluma fimbriata. A presença do medicamento de uso controlado sibutramina, que age no sistema nervoso central e é capaz de reduzir a sensação de fome, foi atestada nos produtos da Divine Shen em um laudo do Instituto de Criminalística de São Paulo.

Anvisa constata alto teor de sódio em alimentos industrializados

DA AGÊNCIA BRASIL

POR CAROLINA PIMENTEL

Sódio nos alimentos

O estudo constatou diferenças na quantidade de sódio de uma marca para outra. No caso da batata-palha, algumas marcas apresentaram até 14 vezes mais sódio do que o recomendável.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) constatou teores elevados de sódio em vários alimentos industrializados encontrados nas prateleiras dos supermercados.

Dos mais de 20 tipos de produtos analisados, o macarrão instantâneo apresentou a maior quantidade de sódio.

De acordo com o levantamento, algumas marcas têm mais que o dobro de sódio do que o limite recomendável para consumo diário.

A ingestão do elemento químico em altas concentrações contribui para o surgimento de doenças cardíacas e renais, obesidade, hipertensão e diabetes.

Excesso de sal

A pesquisa revela que os refrigerantes de baixa caloria (light e diet) à base de cola e guaraná têm maior concentração de sódio em comparação com os convencionais. :: LEIA MAIS »

Receitas de antibióticos vão ser retidas a partir deste mês

DO PORTAL AMAZÔNIA.COM

Acabou a farra de chegar na farmácia e pedir: "Me dá um Tetrex, aí!"; "Me dá duas Amoxicilina!" ou "Me aplica uma Benzetacil!". A partir deste mês, se não estiver com receita, nada feito!

A partir de 28 de novembro, as farmácias e drogarias só poderão vender antibióticos mediante retenção da receita médica. A medida foi estabelecida na Resolução RDC de número 44, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), como uma forma de combater o uso inadequado do medicamento e consequentemente o surgimento de superbactérias.

A norma inclui ainda as farmácias hospitalares. Assim, a primeira via da receita será retida no estabelecimento e a segunda será devolvida ao paciente como comprovante do atendimento. O medicamento só poderá ser vendido se apresentado de forma legível e sem rasuras. Além de ter sido emitida por profissionais devidamente habilitados (médicos). :: LEIA MAIS »

Anvisa revisa limite de substâncias químicas em alimentos

DA AGÊNCIA ESTADO

Mudança exige melhora nos processos de manipulação dos alimentos nas fábricas

Proposta é diminuir os níveis de contaminantes como chumbo

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) abriu nesta quinta-feira (4) uma consulta pública que revisa o limite máximo permitido para substâncias com potencial de contaminação em alimentos.
Segundo a agência, a proposta sugere diminuir os níveis de contaminantes como chumbo, cádmio, mercúrio e arsênio, o que exige aperfeiçoamento dos processos de manipulação dos alimentos nas fábricas. O objetivo da proposta é impedir a ingestão de comida contaminada e diminuir a ingestão de substâncias químicas a níveis que não produzam impacto significativo na saúde do consumidor.

O órgão lembra que, entre os contaminantes inorgânicos, o chumbo é um dos que tem maior impacto. Em altos níveis, pode ocasionar encefalopatia aguda. Em baixos níveis, afeta o desenvolvimento mental, provoca doenças cardiovasculares, afeta a fertilidade e a gestação, causa anemia, diminuição do apetite e apatia, entre outros.

A Consulta Pública 101/2010 ficará aberta por 60 dias. Sugestões devem ser encaminhadas, por escrito, para o endereço da Agência Nacional de Vigilância Sanitária/ Gerência-Geral de Alimentos: SIA Trecho 5, Área Especial 57, Brasília-DF, CEP 71.205-050; para o Fax: (61) 3462-5315; ou para o e-mail: cpcontaminantes@anvisa.gov.br.

Venda controlada de antibióticos começa a valer em 30 dias

DO CANAL RURAL

POR DANIELA CASTRO

As receitas para a compra de antibióticos terão que ser feitas em duas vias. Uma ficará retida na farmácia e a outra será devolvida ao paciente carimbada para comprovar o atendimento. As receitas também terão prazo de validade de 10 dias. Se o paciente não fizer a compra do antibiótico nesse período, depois não poderá mais fazê-la.

Receitas passam a ter prazo de validade de 10 dias

As regras que exigem maior controle das farmácias para a venda de antibióticos começam a valer em 30 dias. As mudanças estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estão publicadas na edição desta quinta, dia 28, no Diário Oficial da União.

As receitas para a compra de antibióticos terão que ser feitas em duas vias. Uma ficará retida na farmácia e a outra será devolvida ao paciente carimbada para comprovar o atendimento. As receitas também terão prazo de validade de 10 dias. Se o paciente não fizer a compra do antibiótico nesse período, depois não poderá mais fazê-la.

Segundo a Anvisa, estas medidas têm como objetivo coibir o consumo descontrolado de antibióticos, que acabam provocando o surgimento de bactérias mais resistentes aos medicamentos. As farmácias que descumprirem as exigências estarão sujeitas a multas e até ao fechamento do estabelecimento.

Conheça os perigos do uso indiscriminado de antibióticos

DA GLOBO VIDEOS

Tomar o remédio além da conta e a automedicação podem prejudicar o paciente. Com o aumento dos casos de superbactéria KPC, a população deve ficar atenta quando e como usar antibióticos.

Anvisa recomenda isolamento de pacientes com superbactéria

DE O ESTADO DE SÃO PAULO

Recomendação integra nota técnica divulgada na última segunda; hospital deve avaliar cada caso

SÃO PAULO – Hospitais devem isolar pacientes contaminados pela KPC ou outras bactérias multirresistentes pouco frequentes em instituições de saúde no País.

A recomendação integra nota técnica divulgada na última segunda-feira pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), preparada após reunião na sexta com infectologistas e especialistas em infecção hospitalar.

O documento ressalta a necessidade de evitar qualquer medida que induza a discriminação do paciente, mas orienta o hospital a avaliar a necessidade de reservar tanto material quanto profissionais para tratar exclusivamente pessoas infectadas.

“É preciso avaliar caso a caso. Há bactérias multirresistentes frequentes. Aí o isolamento não é necessário”, afirma Ana Cristina Gales, professora de infectologia da Unifesp.

Anvisa cria manual de conduta para navios de cruzeiro

DA AGÊNCIA ESTADO

POR CLARISSA THOMÉ

Objetivo da Anvisa é padronizar as exigências nos portos do País e prevenir surtos de doenças a bordo

A aproximação da Anvisa com as empresas internacionais donas dos navios começou na temporada passada, o que permitiu a ampliação do número de notificações de casos de doenças a bordo.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) conclui um guia de conduta para navios de cruzeiro. A intenção é padronizar exigências sanitárias nos portos. A primeira versão foi apresentada ao setor no início do mês, quando começou a temporada de cruzeiros. Mas agências e operadoras de cruzeiros ainda podem fazer sugestões.

O documento final só valerá para a próxima temporada, entre outubro de 2011 e maio de 2012. É dividido em dois capítulos. O primeiro trata da vigilância epidemiológica, que define critérios para declaração de suspeita de surto a bordo, explica como são feitas as notificações e determina regras como limpeza do navio, higiene dos passageiros e da tripulação e isolamento. :: LEIA MAIS »

Brasil recolhe remédio contra diabetes das farmácias

DO R7

Medicamento foi banido na Europa e sofre restrições à venda nos Estados Unidos

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou o recolhimento do medicamento Avandia, que trata o diabetes tipo 2, em todas as farmácias do país.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira (29) por meio de uma resolução no Diário Oficial. A norma exige ainda o cancelamento do registro de medicamentos contendo o princípio ativo rosiglitazona, referente ao mesmo remédio, a partir de hoje.

O medicamento foi banido na Europa e sofre restrições à venda nos Estados Unidos, devido às suspeitas de que o produto provoque problemas cardiovasculares. :: LEIA MAIS »

Brasil e EUA assinam parceria em vigilância sanitária

DA AGÊNCIA ESTADO

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e sua correlata nos Estados Unidos, a FDA (Food and Drug Administration), firmaram hoje parceria, em Washington, que deve contribuir para agilizar o registro de medicamentos, diminuir a necessidade de inspeções e acelerar a avaliação sobre retirada de produtos do mercado.

Segundo comunicado do Ministério da Saúde, o acordo permite a troca de informações sobre registro de medicamentos entre as duas agências, o que não só facilita a liberação de venda do produto, como evita o retrabalho na análise da documentação das empresas.

“Isso (parceria) tem um impacto brutal porque, se eu tenho acordos que me permitem reconhecer etapas já realizadas pelo FDA e vice-versa, ganho em rapidez, segurança, evito dispersão de recursos e sobreposição de trabalho”, disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. O ministro está nos EUA em missão governamental.

O acordo, a primeira etapa para o reconhecimento mútuo entre as duas agências, envolve três diferentes áreas: registro de medicamentos, equipamentos e produtos médicos, inspeções e vigilância pós mercado.

Anvisa e ANS vão informar preços de produtos para a saúde comercializados no país

DE O GLOBO ONLINE

POR NADJA SAMPAIO

RIO – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) lançou, nesta terça-feira, em parceria com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), um banco de dados inédito com os preços dos produtos para a saúde comercializados no país. As primeiras informações e preços serão sobre cerca de 300 produtos da área de cardiologia, que poderão ser consultados por gestores, profissionais de saúde e outros interessados.

Segundo o diretor presidente da Anvisa, Dirceu Raposo de Mello, o objetivo é diminuir a assimetria de informações disponíveis nessa área:

– Dar transparência a esse trabalho permite que os usuários possam questionar os critérios de preços adotados pelas empresas. Esperamos que o projeto tenha uma repercussão ainda maior para a sociedade com a participação da ANS.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia