WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
;
o blog artigos curiosidades dicas qualidade de vida fale conosco
maio 2018
D S T Q Q S S
« jan   jun »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

:: 16/maio/2018 . 19:41

Estudo apresenta relação entre tireoide e tendências suicidas

Pacientes psiquiátricos com pensamentos suicidas analisados possuíam níveis altamente reduzidos do hormônio T3, produzido pela glândula.

Tendências suicidas podem estar ligadas a uma desordem na tireoide, de acordo com estudo divulgado na revista Archives of Clinical Psychiatry, do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP. A pesquisa, realizada no Instituto de Saúde Mental de Punjab e no Centro de Medicina Nuclear do Mayo Hospital em Lahore, ambos no Paquistão, comparou pacientes com pensamentos suicidas e pacientes sem esses pensamentos e concluiu que, aqueles que haviam tentado ou pensado em suicídio apresentavam problemas na glândula.

Foram analisados 54 pacientes psiquiátricos com pensamentos suicidas, sendo 21 mulheres e 33 homens, e 50 pacientes psiquiátricos sem histórico de pensamentos ou tentativas suicidas, sendo 22 mulheres e 28 homens, ambos os grupos com idade entre 15 e 55 anos. Grávidas, cardíacos e pessoas que fazem tratamento de tireoide ou foram submetidas à cirurgia da glândula foram excluídas do teste.

:: LEIA MAIS »

Musculação pode ser uma arma no combate à depressão

Estudo revela que esse tipo de exercício físico ameniza sintomas depressivos.

Digamos que o ditado “mente sã, corpo são” também poderia ser lido de trás pra frente, segundo um artigo publicado no periódico JAMA Psychiatry. No estudo, foi demonstrado que exercícios físicos resistidos, além de benéficos para o corpo, ajudam a aliviar os sintomas da depressão – “corpo são, mente sã”.

Os cientistas da Universidade de Limerick, na Irlanda, queriam descobrir se havia alguma associação entre esse tipo de treinamento – representado pela boa e velha musculação – e os sintomas depressivos. Para isso, reuniram dados de 33 pesquisas clínicas, com quase 2 mil participantes. A partir daí, eles observaram uma redução de 44% nos indícios da doença entre a turma que puxava ferro. De acordo com a revista Time Health, os autores do trabalho compararam esse efeito ao de remédios antidepressivos ou terapias comportamentais.

:: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia