DA REDAÇÃO

Antes de dar a partida no carro para pegar a estrada, não se esqueça de tomar as precauções para que sua casa não seja uma usina de mosquitos.

Nas regiões Norte e Centro-Oeste, as larvas estão, principalmente, no lixo. No Nordeste e no Sul do Brasil, a concentração é em depósitos de água. E no Sudeste, a preocupação maior é dentro de casa.

Nesse calorão, basta uma viagem curta de uma família para as larvas virarem mosquito. Quanto maior a temperatura, menor o ciclo do mosquito, então, em vez de demorar dez dias para eclodir, vai demorar apenas cinco dias para o mosquito nascer.

Segundo os pesquisadores, os ovos podem sobreviver por mais de um ano em ambientes secos. Eles são pretinhos, do tamanho de grãos de areia. Quando entram em contato com a água, rapidamente dão origem às larvas.

E com as condições climáticas deste verão, o mosquito ainda ganha outro ponto a favor dele. No período de férias, além de a casa ficar fechada por um período, os agentes têm mais dificuldade para fazer a vistoria.

Mesmo com tudo fechado, o mosquito pode entrar pelas frestas das janelas e das portas. Os banheiros em desuso vão ser um prato cheio para a fêmea colocar os ovos. Por isso, a recomendação é fechar a tampa dos vasos sanitários e todos os ralinhos da casa.

Antes de viajar tem que limpar as calhas e a rede que escoa a água da chuva. No quintal, não dá para deixar objetos espalhados. As larvas aparecem até nos buraquinhos dos botijões de gás.

E não se esqueça de dar uma geral na vasilha de água do cachorro. Tem que jogar a água fora, passar uma bucha, e deixá-la de boca pra baixo.